Qualis-Periódicos definitivo: Quadriênio (2013-2016) – Administração, Contabilidade e Turismo. Tendências Futuras para os Periódicos Científicos Brasileiros da Área

É com muita alegria e grande satisfação que hoje comemoro com esta postagem a conquista de 20 mil visualizações do Blog Ciência e Organizações (Sci&Org). Na idealização deste Blog, há dois anos, o objetivo foi o de compartilhar algumas ideias pessoais e de realizar alguns levantamentos a respeito do modus operandi de publicação científica do campo de Administração. Essa era uma lacuna que vinha observando entre professores e colegas desde os meus tempos de graduação e que ao longo da aproximação com a pesquisa científica e a partir do meu amadurecimento acadêmico, acabei notando algumas janelas de oportunidades a respeito deste assunto, que certamente é de interesse de todos pesquisadores do campo em geral.

Felizmente, as publicações surtiram um impacto tão grande entre os pesquisadores da área que hoje o Blog se consolida com uma média de 1.200 visualizações mensais – o que considero bastante relevante dentro de nosso contexto. Sou muito grato a todos leitores que acessam este Blog, seja para tirarem dúvidas a respeito de como funciona o sistema de publicação científica ou também como um norte para escolha das revistas nacionais a partir dos levantamentos que realizo na lista do Qualis-Periódicos. Peço também minhas sinceras desculpas pela demora na atualização da lista da CAPES. Como estou no meio do Doutorado, a imersão em diversas atividades relacionadas à Tese e também em outros trabalhos me impedem de atualizar o Blog na frequência que gostaria e que deveria (visto que há expectativas a respeito de seu conteúdo).

Na publicação de hoje trazemos algumas novidades interessantes e que certamente trarão impactos tanto para os nossos periódicos quanto para os pesquisadores. Utilizei o verbo trazer no plural, pois a escrita divulgada neste post tem também a colaboração do meu grande amigo de Doutorado Marcello Romani-Dias, que abraçou este tema comigo e que futuramente também estará realizando algumas publicações comigo em que julgo serem interessantes a respeito do tema de periódicos científicos brasileiros (aguardem!).

No mês passado, a CAPES realizou a divulgação dos relatórios do último Quadriênio (2013-2016) com a avaliação dos Programas de Pós-Graduação de diversas áreas. Na área de Administração Pública e de Empresas, Contabilidade e Turismo ocorreram alterações substanciais no conceito de diversos programas. Não entrando no mérito e nos detalhes da avaliação, mas indo objetivamente ao ponto da classificação das publicações científicas, observamos que ocorreram também algumas mudanças tanto na avaliação dos periódicos quanto no direcionamento destes para os próximos anos.

 

A1 JCR >1,4 (67%) ou H-Scopus > 24 (75%), o que for mais favorável. Periódicos nos limites acima mas que não listados como da área na respectiva base de cálculo de Fator de Impacto, foram classificados no estrato A2.
A2 1,4 >= JCR > 0,7 (33%) ou 24 >= H-Scopus > 9 (50%), o que for mais favorável Periódicos nos limites acima mas que não listados como da área na respectiva base de cálculo de Fator de Impacto, foram classificados no estrato B1
B1 Na Scielo ou 0,7 >= JCR > 0 ou 9 >= H-Scopus > 0 ou Índice Spell >0,225 (67%), o que foi mais favorável Periódicos relacionados no JCR ou no Scopus, nos limites acima, mas não listados como da área na respectiva base de cálculo do indicador de impacto, foram classificados no estrato B2
B2 Estar no Redalyc ou ser editado por Editoras indicadas pela área ou na Scielo, mas não listado como da área na base Scielo ou Índice 0,225 >= Spell > 0,114 (33%).
B3 Ter ISSN, índice de atraso no máximo igual a 0,5, 3 ou mais anos de existência; e ter no mínimo um dos indexadores definidos pela área; ou Índice Spell<=0,114
B4 Ter ISSN, índice de atraso no máximo igual a 0,5 e 2 ou mais anos de existência
B5 Ter ISSN e, no máximo, um ano de atraso
C Periódicos cujo conteúdo foi identificado como sendo técnico ou estritamente de conteúdo aplicado

 

É possível notar algumas alterações importantes se compararmos aos últimos critérios adotados (veja aqui). Embora não tenha ocorrido mudanças nos valores dos critérios dos fatores de impacto  (JCR e SJR) entre os estratos A1 a B1 e também da opção de indexação na base Scielo entre os estratos B1 e B2, a ação mais impactante adotada pela CAPES em termos de classificação dos periódicos foi a inclusão da medida do Índice Spell calculado pela Base SPELL (gerida pela ANPAD), mostrando-se como uma medida adicional utilizada nesta última avaliação, e que, segundo o próprio relatório de área da Capes, a indexação dos periódicos nesta base deverá ser consolidada pelos periódicos brasileiros nos próximos anos. Alguns critérios mais específicos como missão e foco, divulgação da nominata, entre outros, foram retirados, e o Índice Spell passou a fazer parte essencial das exigências entre os estratos B3 e B1.

Os critério relacionados aos indexadores às Editoras também foram mantidos. As editoras indicadas pela área são: Sage; Elsevier; Emerald; Springer; Inderscience; Pergamo; Wiley; e Routledge. Além dos já mencionados na planilha, os indexadores definidos pela comissão de área são: Ebsco, Doaj, Gale, Clase, Hapi, ICAP ou IBSS.

Todavia é pertinente notar que tanto os critérios adotados quanto a avaliação dos programas e consequentemente dos artigos publicados pelos pesquisadores são realizadas ex-post, ou seja, o Qualis-Periódicos objetiva classificar os periódicos da área e as publicações científicas realizadas no passado, mais especificamente, neste Quadriênio avaliou as produções realizadas entre os anos de 2013 e 2016.

É interessante notar que a natureza desta avaliação gera determinada incerteza institucional, dado que os pesquisadores do campo não possuem um norte claro para suas publicações, tendo em vista que além das mudanças que ocorrerem ano a ano, daqui há quatro anos, muito possivelmente outras regras serão inseridas tanto para os critérios dos programas quanto dos periódicos. Embora a classificação Qualis-Periódicos não deva ser utilizada como guia único para direcionar as publicações de cada pesquisador, se revela uma dimensão quase que onipresente entre estes, pois os critérios são estendidos para além de sua finalidade enquanto avaliação institucional dos programas de pós-graduação e são utilizados (talvez equivocadamente) para outros fins, como a avaliação de pesquisadores em concursos públicos, a de seleção de instituições privadas, recebimento de bolsas de produtividade e até mesmo no julgamento de mestrandos e doutorandos na entrada dos programas stricto sensu.

Mas, diante de tais incertezas seria possível antever o que teremos para os próximos anos em termos de avaliação, principalmente no que diz respeito aos nossos periódicos científicos nacionais?

O último relatório da Capes oferece algumas pistas:

Considera-se como muito positivo o uso do DOI nos artigos dos periódicos da área. Entendese que no próximo Quadriênio os índices de citação (Journal Impact Factor do JCR, SJR ou Cit/Doc 2 years do Scimago/Scopus) deverão ser usados na ocupação dos estratos A1, A2, B1 e B2. A presença no Scielo para os periódicos da área será usada para a ocupação do estrato B2 e no estrato B3 estarão os periódicos das editoras internacionais selecionadas pela área e Redalyc. No estrato B4 estarão os periódicos presentes nas bases DOAJ, EBSCO e Gale e no B5 os periódicos presentes em pelo menos uma destas bases (DOAJ, EBSCO e Gale). Os demais veículos serão classificados como não periódicos. O uso do Spell deverá ser consolidado pela área.

A partir deste breve trecho e com base em nossos conhecimentos pessoais conseguimos oferecer a você leitor pelo menos quatro tendências:

 

1º Internacionalização dos Periódicos Nacionais por meio dos Indexadores de maior impacto

A cada ano os poucos periódicos brasileiros de nossa área que já estão consolidados em bases como Web of Science, Scopus e Scielo tentarão lutar bravamente pelo aumento de seus fatores de impacto, e em paralelo, os outros periódicos (A2 e B1 principalmente) que ainda não estão nessas bases, tentarão realizar mudanças substanciais em todo seus processos de gestão para a migração nesses indexadores, melhorando assim a qualidade de seus critérios e processos, e consequentemente, de suas publicações (artigos). É importante considerar que os periódicos devem pensar isso estrategicamente, dado que o cenário de desenvolvimento e aumento do impacto envolve um processo não de concorrência, mas sim de cooperação, pois o aumento do fator de impacto depende das relações de citação estabelecidas entre os periódicos de uma mesma área (Diniz, 2017). Há ainda muitas barreiras no que diz respeito às citações de nossas revistas por periódicos internacionais. Estratégias de legitimação internacional devem ser pensadas por estas revistas, como por exemplo, edições especiais como a realizada pela RAE sobre Capacidades Dinâmicas (Takahashi, Bulgacov, Bitencourt, & Kaynak, 2017) em que trouxe autores importantes como David Teece, Roy Suddaby e Martha Feldman. Este tipo de ação, entre outras, provavelmente auxiliarão na legitimação de nossos periódicos brasileiros lá fora.  Há também diversas outras preocupações importantes, como a utilização do idioma em inglês pelos nossos periódicos, por exemplo. A publicação realizada pelo professor da EAESP/FGV, Rafael Alcadipani, aponta várias críticas importantes neste sentido (Alcadipani, 2017).

 

2º O uso da base Spell deverá ser consolidado pela área. 

Acreditamos que esta seja uma medida bastante positiva, pois realmente necessitamos de maior integração de nossos periódicos em uma base única e legitimada. Porém é necessário pensar nas consequências dessa exigência para o conjunto de periódicos como um todo – de acordo com o nosso levantamento, hoje temos 304 revistas no campo de Administração, Contabilidade e Turismo, e destas, atualmente, apenas 109 (35,85%) estão indexadas na SPELL. Considerando o fato de que a SPELL é uma base privada – no sentido de que as revistas têm que pagar R$13 por documento indexado se vinculada á ANPAD e R$26 se caso não esteja vinculada – algumas questões ficam no ar: Como essa consolidação será feita? Há um plano estruturado para isso? Esta consolidação partirá de uma estratégia institucional de nosso campo ou deverá partir apenas da ação individual dos gestores dos periódicos? Quais serão os atores institucionais envolvidos nesta consolidação? Quais serão os incentivos dados principalmente às revistas que hoje lutam pela sobrevivência e que sofrem por falta de recursos, apoio e estrutura para a gestão e indexação de seus periódicos? Temos a certeza de que todos pesquisadores e principalmente os editores de periódicos gostariam de compreender melhor as intenções e motivações envolvidas nesta consolidação.

3º Indexação em bases consideradas estratégicas como condição necessária para ser considerado um periódico científico, do contrário, o periódico será considerado tecnológico.

Talvez uma das possíveis medidas que consideramos mais impactante seja a do que se espera para que os periódicos sejam considerados “minimamente” científicos. A exigência pretendida está bem clara: “No estrato B4 estarão os periódicos presentes nas bases DOAJ, EBSCO e Gale e no B5 os periódicos presentes em pelo menos uma destas bases (DOAJ, EBSCO e Gale). Os demais veículos serão classificados como não periódicos”. Esta talvez seja a medida mais preocupante, pois constatamos em nossa futura pesquisa, que há atualmente uma parcela muito pequena de periódicos indexados nestas bases. Se considerarmos o conjunto das 304 revistas, estas chegam a no máximo 37% na base DOAJ. Portanto, nos próximo anos, a maioria dos periódicos terão que realizar esforços tremendos para a indexação nestas bases, considerando que este não é um processo trivial e fácil, necessitando muitas vezes apoio institucional, colaboração e troca de experiências entre os gestores dos periódicos. Portanto, uma questão pertinente que fica: será que não existem indexadores que garantiriam a sobrevivência dos periódicos em suas fases de transição para bases intermediárias (DOAJ, Ebsco, e etc) sem que estas percam seu caráter científico? Esta medida drástica a curto prazo talvez poderá impactar tanto o desenvolvimento na entrada de novos periódicos quanto o de periódicos criados recentemente, como também os que ainda encontram-se em desenvolvimento.

 

4º Considera-se como muito positivo o uso do DOI nos artigos dos periódicos da área.

A classificação dos periódicos passará a adotar algumas medidas informacionais já consagradas por revistas de maior impacto e que hoje são condição necessária para uma melhor gestão e disseminação dos periódicos. Além do DOI (que identifica digitalmente o artigo científico), acreditamos que outra tendência será também a de os periódicos terem que informar o ORCID (identificação dos autores), dado que a CAPES já demostra interesses de adotar a identificação digital em outras esferas. Portanto é necessário ficar de olho nessas tendências tecnológicas.

 

Por fim, acreditamos que as breves reflexões oferecidas nas tendências futuras sobre nossos periódicos nacionais auxiliem tanto na redução da incerteza dos leitores a respeito de suas publicações e também na reunião de esforços para que consigamos pensar e discutir conjuntamente estas questões que são de suma importância para o nosso campo.

A seguir, também disponibilizamos a lista com as 304 revistas identificadas como sendo da área de Administração Pública e de Empresas, Contabilidade e Turismo, e que foi  levantada  a partir do Qualis-Periódicos do Quadriênio (2013-2016). O procedimento metodológico deste levantamento será fornecido em artigo posterior e disponibilizado futuramente aqui no site.

 

Gostou da leitura? Ajude compartilhando este Blog com seus pares por e-mail, redes sociais e outros meios de comunicação. Agradecemos a leitura e o interesse de todos vocês.

 

 

Atenciosamente,

Rodrigo Assunção Rosa (Doutorando em Estratégia pela EAESP/FGV)

Facebook: https://www.facebook.com/rodrigo.assuncao.r

ResearchGate: https://www.researchgate.net/profile/Rodrigo_Rosa6

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/rodrigo-assunção-rosa-38063431/

 

Marcelo Romani-Dias (Professor da ESEG e FIA e Doutorando em Estratégia pela EAESP/FGV)

ResearchGate: https://www.researchgate.net/profile/Marcello_Romani-Dias

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/marcello-romani-dias-7ba358123

 

Referências

Alcadipani, R. (2017). Periódicos brasileiros em inglês: A mímica do publish or perish “Global”. Revista de Administração de Empresas, 57(4), 405-411.

Diniz, E. H. (2017). Periódicos brasileiros da área de Administração no contexto de internacionalização da produção científica. Revista de Administração de Empresas, 57(4), 357-364.

Takahashi, A. R. W., Bulgacov, S., Bitencourt, C. C., & Kaynak, H. (2017). Expanding the dynamic capabilities view: special contributions. Revista de Administração de Empresas, 57(3), 209-214.

 

 

 

Revistas de Administração Pública e de Empresas, Contabilidade e Turismo:

Qualis Revista ISSN
A2 ADVANCES IN SCIENTIFIC AND APPLIED ACCOUNTING 1983-8611
A2 BRAZILIAN ADMINISTRATION REVIEW 1807-7692
A2 BRAZILIAN BUSINESS REVIEW 1808-2386
A2 CADERNOS EBAPE.BR 1679-3951
A2 CONTABILIDADE VISTA & REVISTA 0103-734X
A2 ORGANIZAÇÕES & SOCIEDADE 1984-9230
A2 PESQUISA OPERACIONAL 1678-5142
A2 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO CONTEMPORÂNEA 1982-7849
A2 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 2178-938X
A2 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1982-3134
A2 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (1947) 0080-2107
A2 REVISTA DE CONTABILIDADE E ORGANIZAÇÕES 1982-6486
A2 REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO DE NEGÓCIOS 1983-0807
A2 REVISTA BRASILEIRA DE PESQUISA EM TURISMO 1982-6125
A2 REVISTA CONTABILIDADE & FINANÇAS 1808-057X
A2 REVISTA CONTEMPORÂNEA DE CONTABILIDADE 2175-8069
A2 REVISTA UNIVERSO CONTÁBIL 1809-3337
B1 ADMINISTRAÇÃO: ENSINO E PESQUISA 2358-0917
B1 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GESTÃO SOCIAL 2175-5787
B1 BASE – REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNISINOS 1984-8196
B1 CADERNO VIRTUAL DE TURISMO 1677-6976
B1 CONTABILIDADE, GESTÃO E GOVERNANÇA 1984-3925
B1 CONTEXTUS – REVISTA CONTEMPORÂNEA DE ECONOMIA E GESTÃO 2178-9258
B1 CUSTOS E @GRONEGOCIOSONLINE 1808-2882
B1 ENFOQUE: REFLEXÃO CONTÁBIL 1984-882X
B1 GESTÃO & PRODUÇÃO 1806-9649
B1 RAI : REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E INOVAÇÃO 1809-2039
B1 RAM. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO MACKENZIE 1678-6971
B1 READ. REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO 1413-2311
B1 RECADM : REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIA ADMINISTRATIVA 1677-7387
B1 REGE. REVISTA DE GESTÃO USP 1809-2276
B1 REGEPE – REVISTA DE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO DE PEQUENAS EMPRESAS 2316-2058
B1 REMARK. REVISTA BRASILEIRA DE MARKETING 2177-5184
B1 REPEC – REVISTA DE EDUCAÇÃO E PESQUISA EM CONTABILIDADE 1981-8610
B1 REVISTA BRASILEIRA DE FINANÇAS 1984-5146
B1 REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL 1809-239X
B1 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA UFSM 1983-4659
B1 REVISTA DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO 2175-8077
B1 Journal of Information Systems and Technology Management 1807-1775
B1 REVISTA DE GESTÃO SOCIAL E AMBIENTAL (RGSA) 1981-982X
B1 REVISTA DE NEGÓCIOS 1980-4431
B1 REVISTA DE TURISMO – VISÃO E AÇÃO 1983-7151
B1 REVISTA ELETRONICA DE ADMINISTRACAO 1679-9127
B1 REVISTA PORTUGUESA E BRASILEIRA DE GESTÃO (LISBOA) 1645-4464
B1 REVISTA PSICOLOGIA: ORGANIZAÇÕES E TRABALHO 1984-6657
B1 REVISTA TURISMO E ANÁLISE 1984-4867
B1 URBE. REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO URBANA 2175-3369
B2 ADM.MADE (UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ) 2237-5139
B2 ALCANCE (UNIVALI) 1983-716X
B2 CADERNOS GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA 2236-5710
B2 DESENVOLVIMENTO EM QUESTÃO 2237-6453
B2 E&G – REVISTA ECONOMIA E GESTÃO 1984-6606
B2 EXACTA (ONLINE) 1983-9308
B2 FACES (FACE/FUMEC) 1984-6975
B2 FUTURE STUDIES RESEARCH JOURNAL 2175-5825
B2 GEP – REVISTA DE GESTÃO E PROJETOS 2236-0972
B2 GESTÃO & PLANEJAMENTO 2178-8030
B2 GESTÃO & REGIONALIDADE 2176-5308
B2 GESTÃO E SOCIEDADE 1980-5756
B2 GESTÃO.ORG 1679-1827
B2 INDEPENDENT JOURNAL OF MANAGEMENT & PRODUCTION (IJM&P) 2236-269X
B2 INTERNEXT – REVISTA ELETRÔNICA DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS 1890-4865
B2 ORGANIZAÇÕES EM CONTEXTO (ELETRÔNICA) 1982-8756
B2 ORGANIZAÇÕES RURAIS & AGROINDUSTRIAIS 2238-6890
B2 PENSAR CONTÁBIL 2177-417X
B2 PRETEXTO (BELO HORIZONTE) 1984-6983
B2 PRODUÇÃO (PRODUCTION) 0103-6513
B2 RAMA : REVISTA EM AGRONEGÓCIO E MEIO AMBIENTE 2176-9168
B2 REUNIR: REVISTA DE ADMINISTRACAO, CIENCIAS CONTABEIS E SUSTENTABILIDADE 2237-3667
B2 REVISTA ACADÊMICA OBSERVATÓRIO DE INOVAÇÃO DO TURISMO 1980-6965
B2 REVISTA CATARINENSE DA CIÊNCIA CONTÁBIL 2237-7662
B2 REVISTA CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (UNIFOR) 2318-0722
B2 REVISTA DA MICRO E PEQUENA EMPRESA (FACCAMP) 1982-2537
B2 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIMEP 1679-5350
B2 REVISTA DE CONTABILIDADE DO MESTRADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UERJ 1984-3291
B2 REVISTA DE GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE GEAS 316-9834
B2 REVISTA DE GESTÃO E SECRETARIADO 2178-9010
B2 REVISTA DE GESTÃO, FINANÇAS E CONTABILIDADE 2238-5320
B2 REVISTA DO SERVICO PUBLICO (ONLINE) 2357-8017
B2 REVISTA ELETRÔNICA DE ESTRATÉGIA E NEGÓCIOS 1984-3372
B2 REVISTA GESTÃO & TECNOLOGIA 2177-6652
B2 REVISTA GESTÃO ORGANIZACIONAL (RGO) 1983-6635
B2 REVISTA GESTÃO UNIVERSITÁRIA DA AMÉRICA LATINA 1983-4535
B2 REVISTA IBERO-AMERICANA DE ESTRATÉGIA 2176-0756
B2 REVISTA PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO EM ADMINISTRAÇÃO (UFF) 1982-2596
B2 REVISTA ROSA DOS VENTOS 2178-9061
B2 SOCIEDADE, CONTABILIDADE E GESTÃO (UFRJ) 1982-7342
B2 TECNOLOGIAS DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE 2236-0263
B2 TEORIA E PRÁTICA EM ADMINISTRACAO 2238-104X
B3 ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS EM REVISTA 2316-7548
B3 AMAZÔNIA, ORGANIZAÇÕES E SUSTENTABILIDADE 5117-199x
B3 ANAIS BRASILEIROS DE ESTUDOS TURÍSTICOS 2238-2925
B3 BRAZILIAN JOURNAL OF OPERATIONS & PRODUCTION MANAGEMENT  2237-8960
B3 CADERNO DE ADMINISTRAÇÃO (UEM) 2238-1465
B3 CADERNO PROFISSIONAL DE ADMINISTRAÇÃO (CPA) – UNIMEP 2237-5422
B3 CADERNOS DE PROSPECÇÃO 2317-0026
B3 CAPITAL CIENTÍFICO 2177-4153
B3 COMPETÊNCIA – REVISTA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DO SENAC-RS 2177-4986
B3 DESENVOLVE: REVISTA DE GESTÃO DA UNILASALLE 2316-5537
B3 ESTUDOS DO CEPE 1413-4128
B3 FACEF PESQUISA 2316-3402
B3 GEPROS.GESTÃO DA PRODUÇÃO, OPERAÇÕES E SISTEMAS 1984-2430
B3 GESTÃO CONTEMPORÂNEA 2177-3068
B3 GESTÃO E DESENVOLVIMENTO 2446-6875
B3 GV EXECUTIVO 806-8979
B3 GVCASOS – REVISTA BRASILEIRA DE CASOS DE ENSINO EM ADMINISTRAÇÃO 2179-135X
B3 HOSPITALIDADE REVISTA DA UNIVERSIDADE ANHEMBI 2179-9164
B3 INTERFACE – REVISTA DO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 2237-7506
B3 INTERNATIONAL JOURNAL OF INNOVATION 2318-9975
B3 Journal of Operations and Supply Chain Management 1984-3046
B3 NAVUS REVISTA DE GESTÃO E TECNOLOGIA 2237-4558
B3 ORG & DEMO (UNESP. MARÍLIA) 2238-5702
B3 PENSAMENTO & REALIDADE – FEA 2237-4418
B3 PERSPECTIVAS CONTEMPORÂNEAS 1980-0193
B3 PERSPECTIVAS EM GESTÃO & CONHECIMENTO 2236-417X
B3 PODIUM SPORT, LEISURE AND TOURISM REVIEW 2316-932X
B3 RACE – REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA 2179-4936
B3 RACEF REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA DA FUNDACE 2178-7638
B3 Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde 1983-5205
B3 RC&C – REVISTA DE CONTABILIDADE E CONTROLADORIA (UFPR) 1984-6266
B3 REAT – REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO E TURISMO 2316-5812
B3 REBRAE – REVISTA BRASILEIRA DE ESTRATÉGIA 1983-8484
B3 RESI. REVISTA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1677-3071
B3 REUNA – REVISTA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E TURISMO 2179-8834
B3 REVISTA ADMINISTRAÇÃO EM DIÁLOGO – RAD 2178-0080
B3 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL 2176-9036
B3 REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA 2179-684X
B3 REVISTA BRASILEIRA DE ECOTURISMO 1983-9391
B3 REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS 2447-4851
B3 REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO E INOVAÇÃO 2319-0639
B3 REVISTA BRASILEIRA DE INOVAÇÃO 2178-2822
B3 REVISTA BRASILEIRA DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO 2447-4193
B3 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA FATEA 2176-8412
B3 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DE RORAIMA – RARR 2237-8057
B3 REVISTA DE ADMINISTRACAO IMED 2237-7956
B3 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO, SOCIEDADE E INOVAÇÃO 2447-8156
B3 REVISTA DE FINANÇAS APLICADAS 2176-8854
B3 REVISTA DE GESTÃO EM SISTEMAS DE SAÚDE – RGSS 2316-3712
B3 REVISTA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA 2359-313X
B3 REVISTA DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E EMPREENDEDORISMO DA FATEC OSASCO 2446-8622
B3 REVISTA DESAFIO ONLINE 2317-949X
B3 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA 2237-3713
B3 REVISTA DE TURISMO CONTEMPORÂNEO 2357-8211
B3 REVISTA ELETRÔNICA CIENTÍFICA DO CRA-PR 2358-7083
B3 REVISTA ELETRÔNICA DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNP 1984-4204
B3 REVISTA ELETRÔNICA GESTÃO & SAÚDE 1982-4785
B3 REVISTA ELETRÔNICA GESTÃO E SERVIÇOS (REGS) 2177-7284
B3 REVISTA ENIAC PESQUISA 2316-2341
B3 REVISTA EVIDENCIAÇÃO CONTÁBIL & FINANÇAS 2318-1001
B3 REVISTA GESTÃO EM ANÁLISE  2359-618X
B3 REVISTA INOVAÇÃO, PROJETOS E TECNOLOGIAS 2318-9851
B3 REVISTA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA 2236-210X
B3 REVISTA METROPOLITANA DE SUSTENTABILIDADE 2318-3233
B3 REVISTA MINEIRA DE CONTABILIDADE 2446-9114
B3 REVISTA NEGÓCIOS EM PROJEÇÃO  2178-6259
B3 REVISTA PRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO 2446-9580
B3 REVISTA PRODUÇÃO ONLINE 1676-1901
B3 RISUS. JOURNAL ON INNOVATION AND SUSTAINABILITY 2179-3565
B3 RITUR – REVISTA IBEROAMERICANA DE TURISMO 2236-6040
B4 ABCUSTOS (SÃO LEOPOLDO, RS) 1980-4814
B4 ÁGORA : REVISTA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA 2237-9010
B4 AGROANALYSIS (FGV) 0100-4298
B4 BRAZILIAN JOURNAL OF PRODUCTION ENGINEERING 2447-5580
B4 CADERNO DE ESTUDOS E PESQUISAS DO TURISMO 2316-5952
B4 CADERNOS DA ESCOLA DE NEGÓCIOS DA UNIBRASIL 1679-3765
B4 CADERNOS DE GESTÃO E EMPREENDEDORISMO 2318-9231
B4 CADERNOS 28 DE AGOSTO 2446-8452
B4 CAP ACCOUNTING AND MANAGEMENT 2238-4901
B4 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS EM REVISTA (CASCAVEL) 1982-3037
B4 CIÊNCIAS SOCIAIS EM PERSPECTIVA 1981-4747
B4 CIENTÍFICA CET-FAESA 2525-829X
B4 COMUNICAÇÃO & MERCADO – REVISTA INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DA UNIGRAN 2316-3992
B4 CONHECIMENTO INTERATIVO 1809-3442
B4 CONTABILOMETRIA – BRAZILIAN JOURNAL OF QUANTITATIVE METHODS APPLIED TO ACCOUNTING 2357-9048
B4 CONTEXTO (UFRGS) 2175-8751
B4 EMPREENDEDORISMO, GESTÃO E NEGÓCIOS 2238-0515
B4 E-REVISTA LOGO 2238-2542
B4 E-TECH: TECNOLOGIAS PARA COMPETITIVIDADE INDUSTRIAL 1983-1838
B4 FAROL – REVISTA DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS E SOCIEDADE 2358-6311
B4 FFBUSINESS 1679-723X
B4 GESTÃO E CONEXÕES 2317-5087
B4 GESTÃO E DESENVOLVIMENTO EM REVISTA 2446-8738
B4 GESTÃO EM FOCO – UNISEPE 2175-733X
B4 GESTÃO PÚBLICA: PRÁTICAS E DESAFIOS 2177-1243
B4 GESTÃO UNIVERSITÁRIA 1984-3097
B4 GV NOVOS NEGÓCIOS 2237-4639
B4 HISTÓRIA ECONÔMICA & HISTÓRIA DE EMPRESAS 1519-3314
B4 ISYS: REVISTA BRASILEIRA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1984-2902
B4 NAU SOCIAL 2237-7840
B4 ORGANICOM (USP) 2238-2593
B4 PESQUISA OPERACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO 1984-3534
B4 PESQUISAS EM TURISMO E PAISAGENS CÁRSTICAS  2177-1227
B4 POLÍTICA E GESTÃO EDUCACIONAL (ONLINE) 1519-9029
B4 PRODUCT (IGDP) 2237-5228
B4 PRODUTO & PRODUÇÃO (ONLINE) 1983-8026
B4 QUALIT@AS (UEPB) 1677-4280
B4 RACI. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO IDEAU 1809-6212
B4 RACRE (CREUPI) 1808-8406
B4 RARA – REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DA AMAZÔNIA 2176-8366
B4 RAU. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO UNISAL 1806-5961
B4 REAGRO – REVISTA ELETRÔNICA DE AGRONEGÓCIO 2237-8812
B4 RECAT – REVISTA ELETRÔNICA CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO E TURISMO 2448-0126
B4 REVISTA ACADÊMICA SÃO MARCOS 2237-2733
B4 REVISTA BORGES 2179-4308
B4 REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE 2359-1412
B4 REVISTA BRASILEIRA DE GESTÃO E ENGENHARIA 2237-1664
B4 REVISTA CENÁRIO  2318-8561
B4 REVISTA CIENTÍFICA ON-LINE TECNOLOGIA GESTÃO HUMANISMO 2238-5819
B4 REVISTA CONHECIMENTO CONTÁBIL 2447-2921
B4 REVISTA DA CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO (RECIFE) 1982-2065
B4 REVISTA DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA REFAE 2176-9583
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA UEG 2236-1197
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ELETRÔNICA issn 2446-9955 2446-9955
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DO SUL DO PARÁ 2359-117X
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E COMÉRCIO EXTERIOR 2447-2719
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE – RAC (IESA) 2525-5487
B4 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE (ESTÁCIO FAP) 2358-1948
B4 REVISTA DE AUDITORIA, GOVERNANÇA E CONTABILIDADE 2317-0484
B4 REVISTA DE CARREIRAS & PESSOAS (RECAPE) 2237-1427
B4 REVISTA DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS DA UNIPAR (IMPRESSO) 1982-1115
B4 REVISTA DE CIÊNCIAS GERENCIAIS 2178-6909
B4 REVISTA DE CONTABILIDADE, CIÊNCIA DA GESTÃO E FINANÇAS 2317-5001
B4 REVISTA DE CONTABILIDADE DA UFBA 1984-3704
B4 REVISTA DE CONTABILIDADE DOM ALBERTO 2317-6148
B4 REVISTA DE EDUCAÇÃO, GESTÃO E SOCIEDADE 2179-9636
B4 REVISTA DE EMPREENDEDORISMO, INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 2359-3539
B4 REVISTA DE ENSINO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO E ENGENHARIA 2447-6129
B4 REVISTA DE FINANÇAS E CONTABILIDADE DA UNIMEP 2358-2693
B4 REVISTA DE GESTÃO E CONTABILIDADE DA UFPI 2358-1735
B4 REVISTA DE GESTÃO E ORGANIZAÇÕES COOPERATIVAS 2359-0432
B4 REVISTA DE LOGÍSTICA DA FATEC-CARAPICUÍBA 2178-0382
B4 REVISTA DO MESTRADO PROFISSIONAL GESTÃO EM ORGANIZAÇÕES APRENDENTES 2317-9082
B4 REVISTA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E GESTÃO TECNOLÓGICA  2237-0072
B4 REVISTA ELETRÔNICA DO CRCRS (ONLINE) 1981-4666
B4 REVISTA ELETRÔNICA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS & DEPARTAMENTO DE ATUÁRIA E MÉTODOS QUANTITATIVOS 2446-9513
B4 REVISTA ELETRONICA SISTEMAS & GESTÃO 1980-5160
B4 REVISTA EM GESTÃO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE 2447-7648
B4 REVISTA ESTÁCIO PAPIRUS (FESSC)  2448-2080
B4 REVISTA ESTUDOS & DEBATES EM GESTÃO E PLANEJAMENTO 1983-036X
B4 REVISTA GEINTEC: GESTÃO, INOVAÇÃO E TECNOLOGIAS 2237-0722
B4 REVISTA GESTÃO E CONHECIMENTO 1982-0666
B4 REVISTA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL 2238-8753
B4 REVISTA GESTÃO EM ENGENHARIA  2359-3989
B4 REVISTA GESTÃO INDUSTRIAL 1808-0448
B4 REVISTA GESTÃO PÚBLICA E DESENVOLVIMENTO 0103‑7323
B4 REVISTA GESTÃO, SUSTENTABILIDADE E NEGÓCIOS 2318-4981
B4 REVISTA GESTO 2358-0216
B4 REVISTA INNOVARE 2175-8247
B4 REVISTA INTERCONTINENTAL DE GESTÃO DESPORTIVA 2237-3373
B4 REVISTA INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO SOCIAL 2317-2428
B4 REVISTA IPECEGE 2359-5078
B4 REVISTA LATINO-AMERICANA DE INOVAÇÃO E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2317-6792
B4 REVISTA LATINO-AMERICANA DE TURISMOLOGIA 2448-198X
B4 REVISTA LIVRE DE SUSTENTABILIDADE E EMPREENDEDORISMO 2448-2889
B4 REVISTA OURICURI 2317-0131
B4 REVISTA PASSO A PASSO 2238-2178
B4 REVISTA TURISMO ESTUDOS E PRÁTICAS 2316-1493
B4 REVISTA UNEMAT DE CONTABILIDADE 2316-8072
B4 REVISTA VISÃO: GESTÃO ORGANIZACIONAL 2238-9636
B4 RIMAR 1676-9783
B4 SABER HUMANO 2446-6298
B4 SINERGIA (FURG) (1985) 2236-7608
B4 SUSTENTABILIDADE EM DEBATE 2446-6298
B4 TURISMO E SOCIEDADE 1983-5442
B4 UNIVERSITAS: GESTÃO E TI 2179-832X
B4 UNIVERSITAS (MOGI-MIRIM) 1984-1213
B5 ADMPG: GESTÃO ESTRATÉGICA. 1983-7089
B5 AGROPAMPA: REVISTA DE GESTÃO DO AGRONEGÓCIO 2525-877X
B5 APPLIED TOURISM 2448-3524
B5 CONNEXIO – REVISTA CIENTÍFICA DA ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS 2236-8760
B5 CULTUR: REVISTA DE CULTURA E TURISMO 1982-5838
B5 DEMOCRACIA DIGITAL E GOVERNO ELETRÔNICO 2175-9391
B5 ESTUDOS DE ADMINISTRAÇÃO E SOCIEDADE 2525-9261
B5 GESTÃO & SOCIEDADE: REVISTA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIABEU  2238-8230
B5 GESTÃO CONTEMPORÂNEA (FAPA) 2177-3068
B5 GLOBAL MANAGER (FSG) 2317-501X
B5 INOVAE – JOURNAL OF ENGINEERING AND TECHNOLOGY INNOVATION 2357-7797
B5 INTERFACEHS (ED. PORTUGUÊS) 1980-0894
B5 INTERNATIONAL JOURNAL OF PROFESSIONAL BUSINESS REVIEW 2525-3654
B5 MANAGEMENT CONTROL REVIEW 2526-1282
B5 MARKETING & TOURISM REVIEW 2525-8176
B5 MÉTODOS E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO 2525-3867
B5 ORGANIZAÇÕES E SUSTENTABILIDADE 318-9223
B5 PRÁTICAS EM CONTABILIDADE E GESTÃO 1678-6971
B5 RAU. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIME 1806-1907
B5 REAC.REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA FAT 2177-8426
B5 REBAP. REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA 2525-5495
B5 REC – REVISTA DE ESTUDOS CONTÁBEIS 2237-0099
B5 REGISTRO CONTÁBIL – RECONT  2179-734X
B5 REVISTA BRASILEIRA DE NEGÓCIOS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL 2358-5153
B5 REVISTA CIENTÍFICA DA FAI (IMPRESSO) 1677-8405
B5 REVISTA CONBRAD 2525-6815
B5 REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO 2317-6083 2317-6083
B5 REVISTA DE EMPREENDEDORISMO, NEGÓCIOS E INOVAÇÃO (RENI) 2448-3664
B5 REVISTA DE EMPREENDORISMO E INOVAÇÃO SUSTENTÁVEIS 526-0502
B5 REVISTA DE GESTÃO E NEGÓCIOS DO ESPORTE 2448-3052
B5 REVISTA DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL (UFPE) 1982-3967
B5 REVISTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL 1678-4057
B5 REVISTA ELETRÔNICA – ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS – Opet 2175-5884
B5 REVISTA ELETRÔNICA EM GESTÃO, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA AMBIENTAL REGET-CT/UFSM 2236-1170
B5 REVISTA ELETRÔNICA PRODUÇÃO & ENGENHARIA 1983-9952
B5 REVISTA ESCOLA DE NEGÓCIOS  2357-7509
B5 REVISTA METROPOLITANA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA 2447-8024
B5 RICADI – REVISTA INTERDISCIPLINAR CONTABILIDADE, ADMINISTRAÇÃO E DIREITO 2317-0115
B5 TEMAS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (UNESP. ARARAQUARA)  1982-4637

 

 

 

Anúncios

Um comentário em “Qualis-Periódicos definitivo: Quadriênio (2013-2016) – Administração, Contabilidade e Turismo. Tendências Futuras para os Periódicos Científicos Brasileiros da Área

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: